Encontra a Golf 4 You nas principais redes sociais e ajuda-nos a promover o Golfe Português Golf 4 You no Facebook Facebook Golf 4 You no LinkedIn LinkedIn

Últimas

Amanhã há mais…
Amanhã há mais…

O mau tempo impediu que Ricardo Melo Gouveia saísse para o campo, para jogar a segunda ronda do And...

Ler mais
No caminho certo

Pedro Figueiredo e Filipe Lima tiveram um segundo dia de Gosan Open sem erros e dividem agora o 23º...

Ler mais
Melo Gouveia sabe que isto ainda não acabou...

Dois bogeys nos primeiros três buracos poderiam ter condicionado seriamente a estreia de Ricardo Me...

Ler mais
Os putos, por Sebastião Gil

Os putos, por Sebastião Gil

Publicado em 24 de Novembro de 2010 às 23:00

Os putos, por Sebastião Gil

"Foi um dia muito mau. É verdade que o tempo piorou bastante da parte da tarde, altura em que entrámos em campo, mas a verdade é que não jogámos aquilo que sabemos", disse, Sebastião Gil, seleccionador nacional de golfe, após a primeira ronda do Campeonato do Mundo de Amadores, que decorreu em Buenos Aires, Argentina, no passado mês de Outubro.

E continuou, "Nesta primeira ronda, os jogadores bateram todos mais de 36 putts. O José Maria Jóia chegou a atingir um green de par 5 com drive e ferro 5, fazendo a seguir quatro putts."

Sebastião Gil, é profissional desde 1976. É um homem do golfe. E por ser um homem do golfe, fala de números, fala de números de golfe, fala de uma parte fundamental do jogo, porque o percebe e entende como ninguém em Portugal.

Palmarés de Sebastião Gil:

Carreira como jogador profissional 1984 Campeão Nacional 1987 Campeão Nacional 1991 Campeão Nacional Vencedor da Ordem de Mérito Nacional 1999 Vencedor Individual do Algarve-Andaluzia

Experiência como profissional de ensino 1982-1983 Clube de Golfe do Vimeiro 1983-1984 Clube de golfe Dom-Pedro Vilamoura 1984-1995 Clube de Golfe da Quinta do Lago 1995-1999 Clube de Golfe da Vila Sol 1999-2002 Academia Super golfe Vilamoura 2002-2003 Clube de Golfe da Quinta da Ria 2003-2008 Treinador Nacional da F.P.G

Outros Cargos Vice-Presidente da P.G.A Portugal 1996-2007 e Sócio Fundador Prelector dos cursos da P.G.A Portugal

Já tive a oportunidade de ser treinado por ele durante uma semana em Vilamoura. É um homem tranquilo, afável, bem-disposto, de natureza calma e sempre atento ao mais ínfimo pormenor do teu swing, não deixando de te fazer um reparo ou correcção se achar que isso é bom para ti. Aprecio isso nas pessoas.

O seleccionador nacional, num passado recente, já colocou o dedo na ferida do golfe nacional, pois a experiência diz-lhe o que é necessário fazer para que possamos ter o boom na modalidade.

Os putos, por Sebastião Gil

Sem receios e rodeios, como é seu apanágio refere que "Infelizmente o que é nosso, não é para nós. Não há espaços para os portugueses jogarem e assim é claro que não há portugueses como público adepto. A população só não tem mais contacto com o golfe porque também não há um plano de educação para a modalidade. Há um desconhecimento geral. É normal que as pessoas não se sintam atraídas porque, durante anos a fio, o golfe foi imputado a uma classe elitista", diz Sebastião Gil.

Os putos, por Sebastião GilPara o seleccionador, o mal reside em dois factores. "Não temos campos de acesso público e além de serem pagos, o preço é exagerado. O aluguer de um campo pode custar entre 120 a 150 euros. Imagine quanto ficaria a uma família se quisessem jogar todos. É um valor que não é comportável para a maioria. Não podemos pôr crianças a praticar, isso sim, seria uma actividade importante para o futuro da modalidade", afirma. Os putos, por Sebastião Gil

Já existem bons exemplos de clubes em Portugal que se preocupam e lentamente começam a revelar alguma abertura para com as crianças, nomeadamente, com programas de fim-de-semana, mini torneios, escolinhas entre outros. É precisamente por aí que reside o futuro do golfe em Portugal, nas crianças. São elas os jogadores de amanhã, serão elas os nossos campeões, se nós deixarmos, mas principalmente…se quisermos.

Atentem a frase do seleccionador nacional; simplesmente lhe vou retirar uma palavra e vejam o sentido que obtemos:

 “ (Não) podemos pôr crianças a praticar, isso sim, seria uma actividade importante para o futuro da modalidade"