Encontra a Golf 4 You nas principais redes sociais e ajuda-nos a promover o Golfe Português Golf 4 You no Facebook Facebook Golf 4 You no LinkedIn LinkedIn

Últimas

Melo Gouveia passa o cut
Melo Gouveia passa o cut

Ricardo Melo Gouveia teve de voltar a fazer uso dos  seus recursos para garantir um lugar no cut do...

Ler mais
Início atribulado

Dois birdies a terminar (8 e 9) deixaram Ricardo Melo Gouveia no limite do cut provisório do Troph...

Ler mais
João Carlota imperial

João Carlota foi o vencedor do Optilink PGA Portugal Open, que decorreu no Palmares Golf. Depois d...

Ler mais
Os putos, por Sebastião Gil

Os putos, por Sebastião Gil

Publicado em 24 de Novembro de 2010 às 23:00

Os putos, por Sebastião Gil

"Foi um dia muito mau. É verdade que o tempo piorou bastante da parte da tarde, altura em que entrámos em campo, mas a verdade é que não jogámos aquilo que sabemos", disse, Sebastião Gil, seleccionador nacional de golfe, após a primeira ronda do Campeonato do Mundo de Amadores, que decorreu em Buenos Aires, Argentina, no passado mês de Outubro.

E continuou, "Nesta primeira ronda, os jogadores bateram todos mais de 36 putts. O José Maria Jóia chegou a atingir um green de par 5 com drive e ferro 5, fazendo a seguir quatro putts."

Sebastião Gil, é profissional desde 1976. É um homem do golfe. E por ser um homem do golfe, fala de números, fala de números de golfe, fala de uma parte fundamental do jogo, porque o percebe e entende como ninguém em Portugal.

Palmarés de Sebastião Gil:

Carreira como jogador profissional 1984 Campeão Nacional 1987 Campeão Nacional 1991 Campeão Nacional Vencedor da Ordem de Mérito Nacional 1999 Vencedor Individual do Algarve-Andaluzia

Experiência como profissional de ensino 1982-1983 Clube de Golfe do Vimeiro 1983-1984 Clube de golfe Dom-Pedro Vilamoura 1984-1995 Clube de Golfe da Quinta do Lago 1995-1999 Clube de Golfe da Vila Sol 1999-2002 Academia Super golfe Vilamoura 2002-2003 Clube de Golfe da Quinta da Ria 2003-2008 Treinador Nacional da F.P.G

Outros Cargos Vice-Presidente da P.G.A Portugal 1996-2007 e Sócio Fundador Prelector dos cursos da P.G.A Portugal

Já tive a oportunidade de ser treinado por ele durante uma semana em Vilamoura. É um homem tranquilo, afável, bem-disposto, de natureza calma e sempre atento ao mais ínfimo pormenor do teu swing, não deixando de te fazer um reparo ou correcção se achar que isso é bom para ti. Aprecio isso nas pessoas.

O seleccionador nacional, num passado recente, já colocou o dedo na ferida do golfe nacional, pois a experiência diz-lhe o que é necessário fazer para que possamos ter o boom na modalidade.

Os putos, por Sebastião Gil

Sem receios e rodeios, como é seu apanágio refere que "Infelizmente o que é nosso, não é para nós. Não há espaços para os portugueses jogarem e assim é claro que não há portugueses como público adepto. A população só não tem mais contacto com o golfe porque também não há um plano de educação para a modalidade. Há um desconhecimento geral. É normal que as pessoas não se sintam atraídas porque, durante anos a fio, o golfe foi imputado a uma classe elitista", diz Sebastião Gil.

Os putos, por Sebastião GilPara o seleccionador, o mal reside em dois factores. "Não temos campos de acesso público e além de serem pagos, o preço é exagerado. O aluguer de um campo pode custar entre 120 a 150 euros. Imagine quanto ficaria a uma família se quisessem jogar todos. É um valor que não é comportável para a maioria. Não podemos pôr crianças a praticar, isso sim, seria uma actividade importante para o futuro da modalidade", afirma. Os putos, por Sebastião Gil

Já existem bons exemplos de clubes em Portugal que se preocupam e lentamente começam a revelar alguma abertura para com as crianças, nomeadamente, com programas de fim-de-semana, mini torneios, escolinhas entre outros. É precisamente por aí que reside o futuro do golfe em Portugal, nas crianças. São elas os jogadores de amanhã, serão elas os nossos campeões, se nós deixarmos, mas principalmente…se quisermos.

Atentem a frase do seleccionador nacional; simplesmente lhe vou retirar uma palavra e vejam o sentido que obtemos:

 “ (Não) podemos pôr crianças a praticar, isso sim, seria uma actividade importante para o futuro da modalidade"