Encontra a Golf 4 You nas principais redes sociais e ajuda-nos a promover o Golfe Português Golf 4 You no Facebook Facebook Golf 4 You no LinkedIn LinkedIn

Últimas

Terceira vitória portuguesa ficou perto
Terceira vitória portuguesa ficou perto

Tomás Melo Gouveia ameaçou a sua primeira vitória como profissional no San Lorenzo Classic, prova...

Ler mais
Amanhã ainda rola

43 jogadores terão de regressar amanhã ao Randpark GC para concluir a quarta ronda de Joburg Open....

Ler mais
Objetivo da semana cumprido

Apesar de um último dia menos bem conseguido na Lalla Aicha Pre-Qualifier B da Escola de Qualifica...

Ler mais
Uma questão de pormenores

Uma questão de pormenores

Publicado em 20 de Fevereiro de 2012 às 23:00

Esta semana, o brilhante top-10 de Ricardo Santos no Avantha Masters daria um excelente tema para o comentário.

A pré-convocatória de Ricardo Melo Gouveia e José Maria Jóia para a Palmer Cup também não seria mau…

Ou até mesmo a realização do Internacional Amador de Portugal no Montado.

Mas, primeiro, acredito que Ricardo Santos ainda vai conseguir um melhor resultado este ano no European Tour e, depois, que o futuro dos jovens jogadores portugueses é risonho.

Por isso, volto a centrar as minhas atenções nas Regras do Golfe.

Pois são elas que nos podem dar o tirar vitórias e estas são informações sempre bem vindas para os jogadores.

Peter Whiteford liderava desde o segundo dia na Índia, mas revelou uma enorme falta de conhecimento das leis em vigor.

O escocês, de 31 anos, foi desclassificado, já jogava a última ronda, depois de um telespetador ter informado o responsável dos árbitros que tinha reparado na televisão que a bola de Whiteford se tinha movido ligeiramente quando este já estava preparado para dar o segundo shot no 18 durante o terceiro dia.

Ou seja, se o jogador britânico, que procurava o primeiro título no European Tour, tivesse dado conta do sucedido ao seu marcador até entregar o cartão seria “apenas” penalizado em duas pancadas: uma por a bola se ter movido e outra por não tê-la recolocado na posição original.

Ora, como entregou o seu cartão, acabou desqualificado…

Mas o mais bizarro é que Whiteford se apercebeu de algo.

Questionou o seu caddie, o seu parceiro de jogo e até o camaramen que filmava, mas todos disseram que não viram a bola mexer-se.

Contudo, esqueceu-se de consultar um árbitro…

Várias pessoas acompanhavam a prova pela televisão e ligaram para a organização do torneio informando do sucedido.

John Paramor, árbitro-chefe do European Tour, viu as imagens e não teve alternativa senão desqualificar Whiteford por assinar um cartão errado.

Outro caso insólito aconteceu esta semana.

Também na terceira ronda do Northern Trust Open, do PGA Tour, Phil Mickelson deu um drive errático no 15 e a sua bola foi parar dentro dos calções de um adepto.

Contudo, Lefty foi salvo pela Regra 24-1 b, referente a obstruções móveis.

Sem saber o que fazer, o adepto deixou lá a bola e deitou-se na relva à espera que o esquerdino chegasse.

Mickelson marcou a posição original antes de retirar a bola dos calções do espetador, e dropou sem penalidade, o mais perto possível da posição original.

Esta é apenas um pequeno pormenor que faz a diferença entre um jogador que ocupa a 239ª posição do ranking mundial e outro que está no 9º lugar…