Encontra a Golf 4 You nas principais redes sociais e ajuda-nos a promover o Golfe Português Golf 4 You no Facebook Facebook Golf 4 You no LinkedIn LinkedIn

Últimas

Tomás Silva no Alps Tour
Tomás Silva no Alps Tour

Tomás Silva garantiu o cartão do Alps Tour, ao terminar a Final da Escola de Qualificação na 15...

Ler mais
Jamieson feliz na África do Sul

Scott Jamieson subiu à liderança do Alfred Dunhill Championship com -11. O escocês vai para a ron...

Ler mais
Nicklaus vê ameaça em Tiger

Jack Nicklaus acredita que o seu recorde de 18 majors pode estar em risco, uma vez o swing de Tiger ...

Ler mais
Sem pressa para ganhar dinheiro

Sem pressa para ganhar dinheiro

Publicado em 15 de Outubro de 2012 às 23:00

Depois das brilhantes prestações no Portugal Masters, Ricardo Melo Gouveia atravessou ontem o Atlântico rumo à Universidade de Central, Florida, em Orlando;

e Pedro Figueiredo, da Universidade California Los Angeles (UCLA), adiou a partida um dia, para ontem poder estar presente na inauguração do Estúdio de Análise de Swing da Federação no Estádio Nacional.

Têm ambos 21 anos, são dos melhores amadores mundiais, vão seguir carreiras profissionais, mas só depois dos estudos. Mesmo que, por isso, deixem de faturar prémio monetários.

Figueiredo, por exemplo, teria recebido, domingo, 19 mil euros pelo 27º lugar em Vilamoura. Na edição de 2011, concluída em 23º, deixara escapar €26 mil.

“Jogando com profissionais, não me sinto inferior, mas não queria deixar de tirar um curso”, diz Figueiredo.

 “O lugar para o fazer era a América, porque em Portugal é difícil e na Europa não há sistema universitário. Acabo-o em Junho do próximo ano e torno-me profissional
nessa altura.”
Melo Gouveia, 60º no Portugal Masters (depois de ter iniciado a última volta em 26º), alinha pelo mesmo diapasão.

“Sinto que já tenho capacidade para estar junto dos melhores da Europa, mas tenho mais dois anos de curso e só depois dos estudos passarei a profissional. Não tenho pressa.”
Enquanto eles se mantêm amadores, Portugal conta com Ricardo Santos no European Tour, Filipe Lima no Challenge Tour e Tiago Cruz e Nuno Henriques no EPD Tour.

Mas Lima, Henriques e até Hugo Santos, irmão mais velho de Ricardo, ainda podem chegar ao principal circuito europeu, em 2013, via Escola de Qualificação.

Seja como for, nunca o panorama golfístico lusitano terá sido tão aliciante.


Sistema universitário americano como método de aprendizagem

Se Pedro Figueiredo já era dos melhores da Europa quando, em 2009, foi para os EUA com uma bolsa de golfe para a UCLA, Melo Gouveia, por outro lado, cresceu exponencialmente como atleta desde que lá chegou em 2010.

“É uma experiência única, a nível estudos, de golfe, de vida pessoal”, diz Melo Gouveia. “A maior parte de nós, aqui em casa, tem a papinha feita; chegando lá, temos de fazer tudo: lavar roupa, fazer comida, conciliar o curso com o mundo altamente competitivo do desporto…”

 

 

Factos

Pedro Figueiredo, atual 29º no ranking mundial amador, venceu em 2008 o British Boys Championship, o mais importante torneio mundial para jogadores sub-18. 

Ricardo Melo Gouveia foi 23º no ranking amador ao chegar, em Agosto, aos quartos-de-final do US Amateur (entre 312 concorrentes).

Atualmente, é 58º na tabela.

Une-os uma antiga e profunda amizade, mesmo que Melo Gouveia seja do Clube de Golfe de Vilamoura e Figueiredo da Quinta do Peru, em Palmela

 

 

Rodrigo Cordoeiro/O JOGO