A Golf4You precisa da tua ajuda. Faz uma pequena contribuição e ajuda-nos a levar até ti os melhores conteúdos de golfe. Obrigado :)

Últimas

DJ procura melhorar o 2º lugar do ano passado
DJ procura melhorar o 2º lugar do ano passado

Depois de um início de 2017 fulgurante, com três vitórias, mas três últimas exibições modesta...

Ler mais
A saga continua…

Certamente ainda motivado pela conquista do Campeonato Nacional PGA há dias, Filipe Lima surgiu em ...

Ler mais
Ricardo Santos espreita o top-10

Ricardo Santos terminou o primeiro dia do Challenge da Suécia no 11º lugar, depois de entregar um ...

Ler mais
Bridget Dwyer: A cozinheira por quem todos suspiram

Bridget Dwyer: A cozinheira por quem todos suspiram

Publicado em 16 de Junho de 2013 às 23:00

Este artigo pertence à área de conteúdos golfbabes

Bridget Dwyer despertou a atenção da Golf 4 You e mostrou qualidades para integrar a rúbrica de “miúdas mais giras do circuito”. Esta havaiana, de 32 anos – faz 33 a 16 de setembro –, deu-se a conhecer no reality show da Golf Channel “The Big Break VI: Trump National”, onde chegou à final de 18 buracos de matchplay com Brianna Vega – Veja venceu por 3/1 e ganhou um convite para jogar uma prova do LPGA Tour.

 

Solteira, com certeza não faltarão pretendentes a Dwyer, apaixonada por desportos radicais como surf ou snowboard e pela cozinha. Influenciada pelo seu pai, começou a jogar golfe aos 13 anos, embora também estivesse inscrita na equipa de futebol da Punahou School, uma escola privada do Havai. Mais tarde tirou um curso de economia em UCLA, onde recentemente Pedro Figueiredo fez a sua graduação em gestão, tendo integrado por três vezes a National Golf Coaches Association All-Schollar e sido eleita a Atleta Mais Inspiradora da universidade em 2004.

 

Desde que se tornou profissional no ano seguinte, tem tentado a sua sorte no Futures Tour, Canadian Tour, Chinese Tour e até no modesto West Coast Tour, circuito praticamente circunscrito à Califórnia, mas continua sem conseguir resultados dignos de registo. Mas pelo menos a sua beleza é de dimensão global.