A Golf4You precisa da tua ajuda. Faz uma pequena contribuição e ajuda-nos a levar até ti os melhores conteúdos de golfe. Obrigado :)

Últimas

Pedro Lencart vence British Boys
Pedro Lencart vence British Boys

Pedro Lencart tornou-se no segundo português a conquistar o British Boys Amateur Championship, depo...

Ler mais
Portugueses com vida difícil

Ricardo Santos, João Ramos e Gonçalo Pinto entraram com o pé esquerdo no Viking Challenge e compr...

Ler mais
Melo Gouveia sai de cena

Ricardo Melo Gouveia foi eliminado por Ashley Chesters na primeira ronda do Paul Lawrie Match Play. ...

Ler mais
Paula Creamer: Uma pantera solidária

Paula Creamer: Uma pantera solidária

Publicado em 1 de Setembro de 2013 às 23:00

Este artigo pertence à área de conteúdos golfbabes

Paula Creamer foi considerada a jogadora mais sexy do LPGA Tour e a Golf 4 You decidiu incluí-la na rúbrica “As miúdas mais giras do circuito”. A californiana, de 27 anos, já soma nove dos 11 triunfos internacionais no principal circuito americano, embora não vença desde a mais importante, conseguida há três anos no US Women’s Open.

 

 

Mesmo tendo o seu primeiro contacto com o golfe apenas aos 10 anos, e já depois de ter praticado dança e ginástica, o seu talento enquanto amadora não passou despercebido à prestigiada IMG Academy, que a recrutou em 2000. Tornou-se profissional quatro anos depois e em 2005 juntou-se ao LPGA Tour, via Escola de Qualificação, onde, na altura, foi a jogadora mais jovem a vencer um torneio oficial de 72 buracos – com apenas 18 anos, 9 meses e 17 dias conquistou o Sybase Classic, quatro dias após ter completado o secundário –  e a a mais jovem a integrar a equipa americana da Solheim Cup.

 

 

Nesse ano, foi eleita Rookie do LPGA Tour, terminando no 2º lugar da Money List com mais de $1,5M, apenas superada por Annika Sorestam. A “Pantera cor-de-rosa”, que no primeiro ranking de 2006 era número 2, atrás da sueca, foi afetada por várias lesões e apesar de mostrar alguma regularidade em 2008 conseguiu quatro vitórias no circuito.

 

 

Creamar, reconhecida pelo seu carácter solidário – tem a sua própria Fundação –, não abdica de viajar sem o seu cão, Studley, um Coton de Tulear – raça nativa de Madagascar, descendente de cães franceses da época colonial – e adora moda, compras, filmes e música.