A Golf4You precisa da tua ajuda. Faz uma pequena contribuição e ajuda-nos a levar até ti os melhores conteúdos de golfe. Obrigado :)

Últimas

Liderança tripartida no Royal Birkdale
Liderança tripartida no Royal Birkdale

Jordan Spieth, Brooks Koepka e Matt Kuchar repartem a liderança do British Open, depois de cumprime...

Ler mais
Tiago Rodrigues manda em casa

Tiago Rodrigues foi quem melhor se adaptou ao “seu” Oporto GC na estreia do Solverde Campeonato ...

Ler mais
DeChambeau qualifica-se para o British Open

Bryson DeChambeau surpreendeu tudo e todos e estreou-se finalmente a vencer no PGA Tour. O californ...

Ler mais
Paula Creamer: Uma pantera solidária

Paula Creamer: Uma pantera solidária

Publicado em 1 de Setembro de 2013 às 23:00

Este artigo pertence à área de conteúdos golfbabes

Paula Creamer foi considerada a jogadora mais sexy do LPGA Tour e a Golf 4 You decidiu incluí-la na rúbrica “As miúdas mais giras do circuito”. A californiana, de 27 anos, já soma nove dos 11 triunfos internacionais no principal circuito americano, embora não vença desde a mais importante, conseguida há três anos no US Women’s Open.

 

 

Mesmo tendo o seu primeiro contacto com o golfe apenas aos 10 anos, e já depois de ter praticado dança e ginástica, o seu talento enquanto amadora não passou despercebido à prestigiada IMG Academy, que a recrutou em 2000. Tornou-se profissional quatro anos depois e em 2005 juntou-se ao LPGA Tour, via Escola de Qualificação, onde, na altura, foi a jogadora mais jovem a vencer um torneio oficial de 72 buracos – com apenas 18 anos, 9 meses e 17 dias conquistou o Sybase Classic, quatro dias após ter completado o secundário –  e a a mais jovem a integrar a equipa americana da Solheim Cup.

 

 

Nesse ano, foi eleita Rookie do LPGA Tour, terminando no 2º lugar da Money List com mais de $1,5M, apenas superada por Annika Sorestam. A “Pantera cor-de-rosa”, que no primeiro ranking de 2006 era número 2, atrás da sueca, foi afetada por várias lesões e apesar de mostrar alguma regularidade em 2008 conseguiu quatro vitórias no circuito.

 

 

Creamar, reconhecida pelo seu carácter solidário – tem a sua própria Fundação –, não abdica de viajar sem o seu cão, Studley, um Coton de Tulear – raça nativa de Madagascar, descendente de cães franceses da época colonial – e adora moda, compras, filmes e música.