A Golf4You precisa da tua ajuda. Faz uma pequena contribuição e ajuda-nos a levar até ti os melhores conteúdos de golfe. Obrigado :)

Últimas

Liderança tripartida no Royal Birkdale
Liderança tripartida no Royal Birkdale

Jordan Spieth, Brooks Koepka e Matt Kuchar repartem a liderança do British Open, depois de cumprime...

Ler mais
Tiago Rodrigues manda em casa

Tiago Rodrigues foi quem melhor se adaptou ao “seu” Oporto GC na estreia do Solverde Campeonato ...

Ler mais
DeChambeau qualifica-se para o British Open

Bryson DeChambeau surpreendeu tudo e todos e estreou-se finalmente a vencer no PGA Tour. O californ...

Ler mais
2015 em revista

2015 em revista

Publicado em 28 de Dezembro de 2015 às 23:00

O ano de 2015 fica indubitavelmente marcado pela brilhante temporada de Ricardo Melo Gouveia no Challenge Tour, onde se sagrou número 1 do circuito e entrou para o top 100 mundial. As vitórias de Jordan Spieth nos dois primeiros majors do ano que o levaram-no mais tarde à liderança do ranking mundial, destronando Rory McIlroy, que teve de contentar-se com o triunfo na Race to Dubai. Tiger Woods, por seu lado, realizou mais uma temporada dececionante e caiu para um modesto 416º lugar da hierarquia.
 

Além de Melinho, também Tiago Cruz e António Rosado merecem destaque O primeiro sagrou-se bicampeão nacional e o segundo voltou a conseguir o cartão do Sunshine Tour na Escola de Qualificação.
 

A nível amador, Tomás Silva e Susana Mendes Ribeiro, que entretanto passou a profissional e sagrou-se campeã nacional, venceram o Campeonato Absoluto, enquanto a Seleção Nacional garantiu a subida à Primeira Divisão, depois de vencer o Europeu da 2ª Divisão na Polónia.

 

PGA Tour

Rory McIlroy parecia inamovível da liderança mundial, mas os triunfos de Jordan Spieth no Masters e US Open colocaram a posição do norte-irlandês em risco. Mais tarde, com um final de época muito forte, Jason Day, campeão do PGA Championship. juntou-se a esta luta, mas a vitória de Spieth no Tour Championship – tal como Day venceu por cinco vezes – valeu-lhe a conquista da FedEx Cup e o número 1 mundial. O texano foi naturalmente Jogador do Ano, enquanto Daniel Berger ficou com o galardão para Rookie do Ano.

 

European Tour

Após uma acesa “discussão” com Danny Willett, Rory McIlroy revalidou o título na Race to Dubai – já a tinha conquistado igualmente em 2012 –, depois de vencer a prova final DP World Tour Championship. O norte-irlandês impôs-se por mais duas ocasiões no circuito. Qem também conseguiu três triunfos em 2015 foi Andy Sullivan, vencedor do Portugal Masters.

Isto já depois do Open da Madeira ter entrado para a história, ao tornar-se no primeiro torneio do European Tour a ser disputado por duas vezes no mesmo ano. Em março, o mau tempo permitiu que apenas se jogasse uma ronda, sendo posteriormente reagendado para finais de julho com a vitória do finlandês Roope Kakko

McIlroy foi eleito Jogador do Ano e o sul-coreano An Byeong-hun venceu o prémio de Rookie do Ano.

Ricaro Santos acabou na 177ª posição da Race to Dubai e acabou relegado para o Challenge Tour.

Tal como Tiago Cruz em 2007 e Ricardo Melo Gouveia no ano passado, este ano foi a vez de Filipe Lima falhar o cartão na Escola de Qualificação por uma pancada.

 

Majors

Depois de conquistar o Masters e o US Open, chegou a pensar-se que Jordan Spieth poderia tornar-se no primeiro jogador a
conseguir um Grand Slam no mesmo ano. Contudo, o número 1 mundial falhou o play-off do British Open por uma pancada – fez um par no 18 do Old Course de St. Andrews – e viu o seu amigo ficar com a Claret Jug, depois de bater o australiano Marc Leishman e o sul-africano Louis Osthuizen no desempate. E em meados de agosto foi um Jason Day em grande forma a impôr-se no PGA Championship.

 


Challenge Tour

Quem vai estar no European Tour do próximo ano é Ricardo Melo Gouveia. O português realizou uma temporada memorável no Challenge Tour, conseguindo duas vitórias (AEGEAN Airlines e Grand Final de Omã) e outro dez top 10, num ano em que disputou 18 torneios e falhou apenas um cut. Resultado: tornou-se no primeiro português a conquistar a Ordem de Mérito do circuito, com um novo recorde de ganhos, bem como o primeiro português a entrar para o top 100 mundial.

Já uma lesão nas costas de Filipe na parte final da temporada acabou por comprometer a sua subida ao European Tour, que esteve quase para acontecer na final da Escola de Qualificação.

 

 

European Senior Tour e Champions Tour

Depois da vitória na estreia, Colin Montgomerie revelidou o título de campeão da Ordem de Mérito do European Senior Tour. O escocês ganhou em
três ocasiões e superou o seu próprio recorde de ganhos. No Champions Tour, Jeff Maggert até fanhou mais torneios – quatro, incluíndo dois majors – mas foi o inevitável Bernhard Langer a terminar o ano a liderar a M0ney List e a conquistar a Cherles Schwab Cuo.

 

LET e LPGA Tour

Shanshan Feng tornou-se na primeira chinesa a conquistar a Ordem de Mérito do Ladies European Tour (LET).

O triunfo no Dubai Ladies Masters, a última prova da temporada, permitiu à jogadora de 26 anos, profissionarl desde 2007, suceder a Charley Hull, ela que também se tinha imposto no Buick Championship em Xangai e conseguido mais dois top 3 (Evian Championship e Sanaya Ladies Open). A
dinamarquesa Emely Kristine Pedersen foi a Rookie do Ano.

Já em dezembro, Susana Mendes Ribeiro ficou muito perto de conseguir um lugar na final da Escola do LET.

No LPG Tour, o domínio pertenceu totalmente às duas primeiras do ranking mundial, Lydia Ko e Inbee Park. A número 1, Ko, de 18 anos, campeã bum major, venceu pelo segundo ano consecutivo a Race of the CME Globe e tornou-se na mais jovem Jogadora do Ano, enquanto Park, vencedora em dois majors, foi distinguida com o Vare Trophy (melhor média de resultados) e entrou para o LPGA Hall fo Fame. Sei-Young Kim foi a Rookie do Ano.

 


Outros circuitos

O sul-coreano Kim Kyung-tae foi o vencedor da Money List do Japan Golf Tour, depois de se impor em cinco torneios.

Já o indiano Anirban Lahiri fez valer os dois trunfos nas três primeiras provas do Asian Tour, ambas co-sancionadas pelo European Tour, para conquistar a Ordem de Mérito.

Nathan Holman somou a sua primeira vitória profissional no último torneio do calendário do PGA Tour of Australasia e terminou o ano no primeiro lugar do circuito, enquanto George Coetzee impôs-se no Sunshine Tour, que este ano contou com António Rosado, Stephen Ferreira e Roy da Costa,

 

Portugueses

Melo Gouveia terminou o ano como número 83 do ranking mundial – um recorde português, mas houve mais destaques. Apesar de Ricardo Santos e Filipe Lima terem sido relegados para o Sunshine Tour (o luso-francês ficou a um shot do top-25 na Escola de Qualificação). António Rosado revalidou o seu cartão do Sunshine Tour, e Tiago Cruz sagrou-se bicampeão nacional e vencedor da Ordem de Mérito PGA Portugal. Susana Mendes Ribeiro passou a profissional, conquistando o campeonato nacional, meses depois de conseguir um inédito “tri” amador. Aliás, Tomás Silva também revalidou o seu título. A nível de clubes, o CG Vilamoura (homens) e CG Miramar (senhoras) foram os campeões nacionais de clubes.

João Girão e Leonor Bessa venceram a Taça FPG, com a jogadora do CG Miramar a impor-se igualmente no prestigiado Greg Norman Academy Junior Invitational, disputado neste final de ano nos Estados Unidos. Já o seu companheiro de clube, Pedro Lencart, também esteve em bom plano, conquistando o Internacional da Finlândia de sub-16 e terminando em segundo no Internacional da Bélgica de sub-18.

Lencart integrou juntamente com João Girão, Afonso Girão, Carlos Laranja, Vasco Alves e António Teixeira a Seleção Nacional que venceu o Europeu Amador Masculino da 2ª Divisão na República Checa e garantiu a subida.

Na Taça Manuel Agrellos, os profissionais da PGA Portugal revalidaram o título, ao bater os amadores da FPG.