Encontra a Golf 4 You nas principais redes sociais e ajuda-nos a promover o Golfe Português Golf 4 You no Facebook Facebook Golf 4 You no LinkedIn LinkedIn

Últimas

Miguel Gaspar aproveita
Miguel Gaspar aproveita

Os três portugueses em prova esta semana no Challenge Tour bateram o Par-71 do Galgorm Castle, mas ...

Ler mais
Melo Gouveia não compromete

Duas semanas depois de ter falhado o cut no Porsche European Open, Ricardo Melo Gouveia regressou co...

Ler mais
Recuperação não chegou a tempo

Por muito pouco, diga-se uma pancada, Susana Mendes Ribeiro não conseguiu um lugar no cut do Bossey...

Ler mais
Entrevista a Tó Neves - Um novo reforço para o golfe

Entrevista a Tó Neves - Um novo reforço para o golfe

Publicado em 18 de Dezembro de 2010 às 23:00

Tinha perguntado ao Tó Neves, se me concedia alguns minutos para lhe fazer uma pequena entrevista para a Golf 4 You. Disse-me que sim, com simplicidade, com abertura e disponibilidade, própria de um vencedor, de um campeão do mundo, de um homem do norte.

Nas horas anteriores ao jogo que opôs a Académica de Espinho à Oliveirense, o agora treinador-jogador, esteve à conversa comigo por alguns breves instantes. Encostamo-nos à porta do mítico pavilhão Arquitecto Jerónimo Reis, da Académica de Espinho, e apesar do frio que se fazia sentir, Tó Neves foi caloroso e revelou-me um pouco mais do que o motivou a aderir ao mundo do golfe.

Para já deu para entender que é um hobbie, mas como estamos a falar de Tó Neves não me espantaria vê-lo daqui a uns anos a competir nos greens nacionais.

Uma palavra de apreço pela oportunidade que nos deste: Obrigado, Tó Neves!

To NevesComo surgiu esta paixão pelo golfe?

Já tinha curiosidade em experimentar há algum tempo, e há cerca de um ano e meio, em férias, uma pessoa amiga tinha uns tacos e fomos experimentar. Fiquei a gostar e agora, através de outro amigo, surgiu a oportunidade de voltar a experimentar, comprei umas lições e digamos que ainda estou a aprender o abecedário do golfe.

Onde jogas?

A primeira vez que joguei foi nos Salgados, no Algarve, em férias, e agora estou no Citygolf a aprender. Já acabaram as lições, também agora não tenho muita disponibilidade, mas de vez em quando vou lá bater umas bolas.

Tens handicap?

Não. Ainda estou mesmo a começar. Como já disse, estou a aprender o abecedário... (risos).

Existem muitas diferenças entre a stickada no hóquei e o swing de golfe?

Sim, algumas. Mas penso que no golfe, a coordenação e, por aquilo que me dizem, é semelhante. Aliás, na primeira vez que experimentei consegui acertar na bola e já tinha alguma direcção. Noto que há algumas semelhanças, mas são mais em termos de coordenação motora.

To NevesSentiste algumas dificuldades quando experimentaste o golfe? Bolhas, dores nas costas, etc..

Não... Apenas na primeira vez, estava bastante entusiasmado e estive a treinar bastante tempo... Senti uma “dorzeca” muscular nos pulsos. Com certeza, porque alguns músculos não eram trabalhados, mas dificuldades senti mais na postura. 
A postura é um pouco diferente. Isto para quem não percebe nada, no golfe tem de ser uma pancada mais fluida, enquanto no hóquei é um movimento que não é contínuo. Tem de chegar a uma altura e tem que parar, porque se levantarmos muito o stick é falta. No golfe, o taco tem de ter uma amplitude grande. Algumas das dificuldades passaram, principalmente, por aí.

To NevesPodemos afirmar que és viciado em competição. Qual o teu objectivo com o golfe? Estás nele por divertimento ou ambicionas entrar em torneios e sentir também a adrenalina da competição?

Para já é o aprender. Mas como em tudo na vida gosto de competir. Neste caso, somos dois amigos que começamos ao mesmo tempo e digamos que estou a competir com ele. Já dei uma volta ou duas ao campo, já foi curioso, já quisemos ganhar um ao outro.... A coisa anda ali equilibrada. E mesmo nuns puttzitos costumamos competir. Mais tarde não sei. Não sei se tenho ou não jeito, mas era uma coisa engraçada. Pelo menos gostava de experimentar participar num torneio e ver.

A tua opinião sobe o golfe alterou-se? Costuma dizer-se que o golfe é um desporto para “velhos”. Achas que isso é verdade ou é um mito?

Não... Até porque na minha pouca experiência vejo muitos jovens e pessoas de todas as gerações a praticar. E tenho algumas curiosidades que davam antes na televisão e não ligava e a agora consigo parar, ver e ouvir. Mesmo algumas palavras que são do golfe já me são familiares. Já reconheço alguns jogadores... Portanto, houve algumas coisas que se alteraram e vejo o golfe de outra forma.

Quais são as características que para ti deve ter um campeão do mundo e que são necessárias para um desportista vencer em alta competição?

Em tudo na vida é preciso ter paixão por aquilo que se faz e gostar. Trabalhar sim, mas especialmente treinar com prazer e ter prazer em evoluir. Uma coisa que eu acho essencial para o desportista é saber avaliar-se a si próprio da melhor forma. Saber o que é que é bom, o que é mau, e só assim é que se pode corrigir aquilo em que é menos mau e tentar potencializar aquilo em que se é bom. É ter uma ideia mais precisa do seu real valor, o que para mim é bastante difícil.

Putt para Birdie
Filme Braveheart
Livro Viagem ao mundo da droga
Cor Azul
Prato Rojões
Bebida Coca-cola light
Referência do hóquei nacional Cristiano Pereira
Referência do hóquei internacional Cristiano Pereira e António Livramento
Referência no golfe nacional  Filipe Lima
Referência no golfe internacional Rory McIlroy
B.I.

Nome: “Tó” Neves
Data de Nascimento: 28/03/1966 (44 anos)
Local de Nascimento: Rio Tinto
Actualmente: Treinador/Jogador da Oliveirense
Internacionalizações: 183
Principais títulos no hóquei em Patins: 10 Campeonatos Nacionais, 8 Taças de Portugal, 2 Taças dos Campeões Europeus, 2 Taças CERS. 2 Campeonatos do Mundo e 4 Campeonatos da Europa 
Outros resultados dignos de registo: 4º lugar nos Jogos Olímpicos 1992